24 de nov de 2010

SIM!



Durante muito tempo disse não!
Me arrependi... Me orgulhei... Me arrependi...
Eu não queria dizer sim mesmo, não queria...
Agora tenho que negar que no fundo quero mesmo
É dizer sim, é gritar sim.
Mas não posso.
Tenho que fazer pose de boa moça e fingir que não quero.
Não quero ser feliz, não quero sorrir nem brincar.
Talvez seja melhor.
Talvez dizer sim seja um erro
O interesse pelo desconhecido
Um olhar que despe minha moralidade
E um sorriso malicioso que me tira do sério.
No fundo eu quero dizer sim!
Mas sou covarde, eu me preocupo
Não quero magoar ninguém, eles não merecem...
Mas eu quero muito dizer sim.
Agora tenho que negar que no fundo quero mesmo
É dizer sim, é gritar sim.
Mas fecharam as cortinas e todos foram embora
É tarde demais.

QUERIDOS AMIGOS




Meninos, eu descobri que o tempo não volta atrás.
Todas as nossas lembranças estão apenas na memória.
Cada momento e cada detalhe, nos filmes,
Nos brigadeiros "embebedantes" e nas guerras de pipoca,
Legião Urbana, músicas que nos marcaram.
No chão da sala, da varanda a bagunça que fazíamos...
Éramos mesmo uns “vandálhos” e éramos livres,
Livres apenas no nosso mundinho e tudo era possível.
Era possível fazer besteira e ser feliz e brincar até tarde,
RPG no quarto do meu primo, pular corda, jogar bola
Nossas brincadeiras de infância
E as que já não eram de criança... Tenho saudade, nostalgia.
Eu cresci muito rápido e perdi vocês sem perceber,
Coisas que me arrependo e quero esquecer...
Lembrando que o tempo não volta.
Eu não posso esperar mais onze anos pra ter a amizade
De vocês novamente, é muito tempo, tempo que não temos.
Agora crescemos e temos liberdade no mundo inteiro
E ao invés de brincar, sentamos num bar pra lembrar
E comentamos o filme que foi nossa infância,
Não vou esquecer que Michelle e Tayane
Também fizeram parte desse filme.
Pena que os personagens tomaram rumos diferentes,
Mas nos temos novamente, não temos mais onze anos...
Nem somos mais criança, mas somos amigos.
Desejo ter muitas novas histórias para contar daqui
A onze anos... Quem sabe uma praia, um relógio,
Sinuca, diversão e muitos e sorrisos.
Adoro vocês.

Para Paulo e Vitor queridos amigos.

22 de nov de 2010

MUNDO ESTRANHO

Quais são os povos mais patrióticos do mundo?por Pedro Proença para revista MUNDO ESTRANHO



Os americanos, venezuelanos, irlandeses e sul-africanos. Eles foram os melhores colocados em uma pesquisa feita pela Universidade de Chicago entre 2003 e 2004 com 33 países (a Alemanha ainda foi contada como duas nações, a Ocidental e a Oriental). A enquete perguntava aos cidadãos seu nível de orgulho em relação a dez aspectos diferentes de seu país e, com base nesses índices, foi tirada uma média. Os americanos são os que tiveram mais amor-próprio em cinco categorias (economia, influência mundial, Forças Armadas, desempenho científico e democracia). A galera da Venezuela é campeã em outras quatro (história, tratamento dispensado às minorias e desempenho nas artes e nos esportes) e a França foi a mais orgulhosa de sua segurança social. A pesquisa será realizada novamente em 2013.

FASCI-NAÇÃO
Os dez povos que mais defendem as cores de sua bandeira
1º ESTADOS UNIDOS
194 pts

2º VENEZUELA
191 pts

3º IRLANDA
161 pts


 
4º ÁFRICA DO SUL
152 pts

5º AUSTRÁLIA
148 pts

6º CANADÁ
134 pts

7º FILIPINAS
133 pts

8º ÁUSTRIA
126 pts

9º NOVA ZELÂNDIA
120 pts

10º CHILE
109 pts

- As vitórias no esporte são o segundo maior motivo de patriotismo para a maioria dos povos. O primeiro é a história do país.

- Ex-colônias costumam ter mais orgulho que suas ex-metrópoles. EUA e Austrália ficaram acima da Inglaterra, por exemplo.

12 de nov de 2010

18.10.2010

Foda-se o que as pessoas pensam!
Cansei de esconder meu sofrimento
Em um sorriso amarelo, enlatado,
Fora do prazo de validade
Como muitas pessoas fazem, ou tentam...
Afinal sou humana!
E sinto e penso e sofro
É disso que a vida é feita.
Eu não sou igual a ninguém,
Apenas tento ser o melhor que posso.
Sinto muito se o meu melhor não é suficiente...
Cansei de ser o que as pessoas esperam
E fingir a mesma felicidade que todos têm.
Agora está na moda ser feliz,
Assim como a “Sra. Vampiro”
Sertanejo universitário,
Comida chinesa e cartão de crédito.
Quem é o que é e não o que era antes?
Quem pode ser?
Quem não pode?
Não tenho mais certeza...
Eu estava também...
Seguia convicta de que seria feliz.
Então ganhei um doce
Que me foi roubado antes que pudesse desembrulhar
Agora sou a criança e me roubaram meu doce.
E eu vou chorar por que estou triste e só!
Queria não ser pisciana,
Mas foda-se o que as pessoas pensam.

A MULHER E O DIABO (ESBOÇO)

Muito triste porque o homem que ama não lhe da à atenção que julga merecer, não a trata como os vassalos e suas senhoras; Angela ajoelha e reza, pede a deus que o faça enxergar que ela é uma mulher interessante, que poderia demonstrar um pouco mais o seu amor e seu afeto, lhe fazer surpresas, mensagens, flores, chocolate... O sonho de Angela é que sua relação fosse sempre como as duas primeiras semanas, quando seu amado fazia questão de conquistá-la. Essa fase passou rápido! Angela se pergunta se a culpa é sua, se foi ela que deixou de demonstrar seu afeto, de doar seu carinho, ela fica insegura achando que o problema pode ser com ela, será que ela não é mulher o suficiente a ponto de despertar o lado mais masculino dele... Ou será que esse homem não enxerga que Angela é uma mulher delicada, que merece atenção, declarações e merece paixão. Esse homem deve prestar mais atenção!!!

Ajoelhada Angela faz sua prece:
— Meu deus, já não sei o que fazer ou o que pensar. Sempre achei que havia encontrado o homem da minha vida! Parece que não sou a mulher da vida de ninguém... Será que algum dia, ele verá que mereço muito mais do que as migalhas que recebo. O amor é abstrato, não posso segurá-lo com minhas mãos, mas posso ver os gestos e demonstrações... Posso saber que sou amada, mas seria tão bom se houvesse um pouco de romance. Onde será que consigo comprar um bocado de romance? Eu posso dar de presente a ele no próximo natal, e ai até meu aniversário essa plantinha já deve ter dado algum fruto, quem sabe... É isso que falta, romance!

De repente aparece uma figura estranha na frente dela. Com um odor peculiar e uma túnica branca, cabelos compridos, seios grandes, ela achava que via pequenos chifres em sua testa.
Lhe disse:
— Minha pequena Angela... Tão bonita e tão ingênua! Pare de sonhar minha criança. Não existe mais romance e as mulheres boazinhas perderam a batalha para as mulheres poderosas minha querida. Você acha mesmo que sendo uma mulher dedicada e apaixonada vai conseguir conquistar paixão em qualquer homem que seja?! Está enganada!

Angela indaga:
—Mas como pode? Eu sempre procurei ser correta e me preocupar com o que ele sentia e o apoiar em tudo. Fui sua mãe, sua amiga e sua amante. Fui tudo que ele precisava nas horas difíceis e estive a seu lado sempre que precisou. Como pode todo o amor que lhe oferto não ser suficiente para fazer com que ele se apaixone por mim ou ao menos queira me fazer feliz como nos contos que tanto gosto. Eu sempre sou o mais carinhosa que posso ser e sempre faço de tudo para vê-lo bem. Na verdade não sei mais o que fazer para ficarmos bem... O que devo fazer?

— Já que perguntou... Acho que deve deixar de ser boba pra começar. Olhe em volta, quantas mulheres ainda agem como você? E quantas são felizes? Só você ainda acredita nesses contos infantis. Eles foram feitos para as meninas acreditarem que devem casar, mas não necessariamente viver neles. Queridinha acorda! Não se pode dar tudo aos homens, deixe que ele tenha que buscar alguma coisa, ou fica muito fácil. Eles não gostam disso. O amor para os homens é uma conquista. E quanto mais difícil é, melhor fica a caçada. Depende de você ser uma presa fácil ou não.

Muito assustada Angela começou a se questionar se seus valores e seus amores eram ou não corretos. O num instante decidiu ouviu deus, que virou as costas, e para nossa surpresa era o Diabo que havia esquecido o rabo de fora.

18 de out de 2010

UM GRANDE MENINO

Eu vi um menino crescendo
Um menino meio perdido
Vi enquanto seu cabelo crescia,
E do ombro, um Chanel meio bagunçado
Alcançou a cintura lhe dando um ar de homem forte.
Vi seus dentes se alinhando na boca
E o metal que escondia seu sorriso foi embora
Agora posso ver radiante todos os sorrisos que dá.
Vi seu corpo frágil se tornar um corpo forte
E gostei muito!
Acompanhei sua personalidade se transformar
E não gostei de alguns traços dela...
Eu costumava te colocar no colo e
De repente você não cabe mais nele.
Pude participar da formação de um músico incrível
Com talento e sensibilidade tocante.
Eu vi seus olhos mudarem, e cada vez que eles me olhavam
Eu me sentia nua, sem nenhuma proteção ou armadura.
Menino, eu vi seus primeiros passos,
Suas primeiras palavras no papel
Seu primeiro amar e seu primeiro amor
Acho que vi você fazer tudo que primeiro poderia
Eu vi um menino crescendo
Um menino meio perdido
E quando ele cresceu simplesmente foi embora
E fui eu que fiquei aqui perdida.
Pra ver a verdade abra os olhos, deixa de ser boba, equilíbrio, equilíbrio... não adianta ser agressiva e ser ingênua. Essa história de 8-80, besteira. O mundo não quer isso. Você precisa se encaixar. Fazer como todos fazem, ligue pras pessoas, sorria, não custa nada. Faça disso um exercício que depois será automático até se tornar verdade. Você tem o direito de chorar e ficar triste, mas isso tem que ser um segredo nosso. Não jogue suas pérolas pra quem quer que seja ou ficará pobre! Levante esse olhar e siga em frente, você tem um sorriso tão bonito. Seja uma estrela.
Maneco me invejaria se me visse agora. Não uma pálida virgem, mas um “Thor” impiedoso, que me devastou com seu martelo. Me confundiu com a serpente. Depois de levantar pedra por pedra, cuidar da terra, campos de lírios... Meu reino foi destruído! Nada mais há que cresça em meu solo. Frutos e flores ficam na lembrança e histórias contadas em trovas na estrada, que levam pra longe daqui. Uma caneca de vinho para matar a sede e ascender a chama. Agora “Bragi” me espera, em tavernas e estradas, no vento que sopra na noite... Em sonhos, “Freya” que me perdoe. “Frigg” pra mim não existe mais! “Kvasir” merece oferenda! Não mais em meu reino, mas em todos! Um gole mais de hidromel e dancemos em volta da fogueira até amanhecer.

23 de set de 2010

NOS LIBERTANDO

Hoje acordei pensando em tua gaiola
Percebi que te manti prisioneiro por muitos anos
Agora essa prisão sufoca a mim.
Não me traz mais felicidade te ter por perto
Se ao menos sorrisse, se voasse...
Vejo tuas asas baixas, teu canto emudeceu...
Não come nem bebe e eu acreditava que mudaria.
Estive tão enganada esses anos
Meu lindo Bem Te Vi, te amo tanto
Prefiro ver-te livre e feliz
Pode ir quando quiser!
Vá, se for trazer algum sentido para a vida
Voe por todos os céus e conheça lugares distantes.
Não uma Ave Noturna, um lindo Bem Te Vi.
Nem guardo e nem sinto saudade de tua gaiola.
Por enquanto uma nostalgia
Esse sentimento de liberdade ainda é novo
Aliás, é tudo muito novo para mim.
Parece que sonhei com coisas mágicas
E acordei com um coração diferente.
Por favor, não volte!
Não quero mais te manter aqui, vá para longe.
Não quero lembrar que na verdade
Fui eu quem estive naquela gaiola por anos
E foram os meus sonhos os aprisionados
E as minhas vontades não satisfeitas
Enquanto você estava livre em seu mundo.
Então vá Bem Te Vi, enfim estamos livres!

12 de set de 2010

DOMINGO FILOSÓFICO

Bebendo, fumando, fudendo...
Assim descobrimos que somos seres humanos
E sentimos, mesmo que por poucos momentos.

Mas se quisermos descobrir que “HUMANO”
Quer dizer muitos mais do que:
Relativo ao homem, humanitário.
Podemos...

Todas as idéias questionáveis
Estão diante de nós.
O ser humano é muito mais que carne e osso,
Tivemos um sopro de vida.

A ignorância não é uma benção.
Ignorância é ilusão ou falta de oportunidade!
Conhecimento é uma benção!
E ele está ao nosso alcance, basta querer.

Todos, somos capazes de descobrir a verdade.
Não precisamos de Jornal Nacional ou Globo Repórter.
Precisamos nos questionar.
O que é? Como é? Por que é?

Talvez não existam respostas concretas.
Mas existem perguntas.
O que nos impulsiona ao questionamento
É o que nos transforma em SER HUMANO.

Aquele além dos prazeres e das vontades
Aquele que almoça e janta, ou não...
Mas está ali, sentado a mesa,
Que está entre todos e ninguém.

Existe um abismo dentro do homem
Morrer ou estar morto
Todos andamos e falamos
Alguns já estão mortos.

Até o momento em que descobrem!

6 de set de 2010

AMADO DESCONHECIDO

Não sei mais fazer amor ou por amor
Quero antes uma garrafa de vinho
Taças de cristal para dar um certo charme
Um sorriso, por favor seja gentil.

Essa noite fingiremos que nos amamos
Que esperamos muitos anos por esse momento
Que enfim possuiremos o corpo desejado
E faremos amor! Não sexo.

Assim podemos ser quem quisermos
Jovens, velhos, amantes, amados
Só uma noite e estará tudo acabado,
Sem nenhum remorso ou culpa.

Você dirá baixinho no meu ouvido que me ama
Te retribuirei com um sorriso e olhar baixo
Enquanto desabotôo sua camisa pra não perder tempo
Vamos trancar a porta, ninguém precisa ficar sabendo.

Essa será nossa noite perfeita!
Dois belos desconhecidos que sempre se amaram
Enfim sacia sua sede em meus lábios
E nos amaremos, pelo menos até o amanhecer.

DE NOVO AQUI

Era doce sentir seus lábios em meu colo
Enquanto me esquivava dos objetos em cima da cama
Derrubamos alguns deles aos beijos e gargalhadas
No meio da noite enquanto todos dormiam.

O esforço e as lembranças cada vez mais intensas
Deitada em seu peito ouvi seu coração batendo forte
Era uma vez mais aquela menina
Agora num corpo de mulher desejando amor.

Num misto de desejo e loucura nossos beijos,
Aquelas carícias que trocamos no escuro
Misturando nosso suor e saliva
Sentindo o gosto da pele e da alma em chamas.

Depois sentir seu peso e seus detalhes
Agarrada em teu ombro com força
Sentindo tua força atravessar minha carne
E sua boca arrancar minha sanidade.

Desfalecer em seus braços
Ouvindo apenas mais uma respiração ofegante
Acariciando seu peito que esteve tão distante

POEMA DO PERDÃO

Perdoe-me
Se fui ingênua demais,
Eu nada conhecia do mundo
Enquanto você já havia caminhado
Uma longa estrada.

Perdoe-me
Se te fiz derramar uma lágrima
Nada há que me arrependa tanto
Quanto saber que sofreu por mim
Quando tudo que quero é um sorriso seu.

Perdoe-me
Por ter perdido a razão por um momento
Esquecido toda a paixão de nossos lençóis
Saiba que todas as chagas doem
Não há curativos que as façam curar.

Por favor perdoe-me
Ainda sonho em estar nos seus braços
Gozando da tua companhia e carinho
Sentindo suas mãos em meus cabelos
E seu beijo que ainda amo tanto.

23.

Eu sempre quis fazer coisas cheias de significados. Depois de quase vinte e três anos as coisas perdem cada vez mais o sentido. Às vezes me pego pensando em coisas e duvido que fui capaz de fazê-lo. Algumas horas descubro que estou errada ou que estou certa. Na realidade, a realidade, não existe. Coisas certas ou certezas, o mundo muda o tempo todo, posso estar em Paris ou no Afeganistão e meu lar sempre estará comigo. Como vampiros que carregam a terra do túmulo consigo, me sinto carregando os restos mortais também, o que restou do que fui. Hoje sou muito melhor é claro! Descobri que sou capaz de dar risada das derrotas e sorrir para o inimigo, embora o inimigo seja sempre aquele que quero perto de mim, mas ele não sabe. Prefiro assim. Depois de um tempo percebi que não preciso dizer a verdade o tempo todo, alguns momentos nem importa o que diga, eles não ouvem... Ou ouvem só o que querem. Percebi que tenho o direito de usar uma “máscara” ou ter uma postura diferente e ainda assim continuar sendo eu mesma, sempre a mesma pessoa. Não é errado. Não é pecado desejar! Não é pecado arriscar, se entregar. É bom. Vejo quando os pelinhos do meu braço se arrepiam, é nesse momento que me sinto livre e sou capaz de esquecer qualquer coisa ao meu redor, assim sou livre. Gosto de fechar os olhos e virar a cabeça para cima quando estou na praia no verão, eu me sinto expandir, me sinto livre também, eu posso ser quem quiser ou ser ninguém. Adoro ir a praia no verão. Sentar no sol para secar o cabelo cheio de sal e gotas do mar. Era tão divertido aqueles dias de verão com minhas lembranças mais queridas, elas bebiam e dançavam comigo. Agora tenho apenas minhas lembranças, mas ainda gosto de ir a praia no verão. Na verdade eu posso fazer qualquer coisa sorrindo e brincando. Agora estou numa brincadeira muito legal, é um jogo quem conseguir ir até o final, ganha. É assim: eu crio um personagem, com uma personalidade, com amigos, família e preciso sustentar a idéia de ser alguém diferente sempre. Preciso ser a última a desistir. Então ganho! Ganho?

5 de set de 2010

24.08.2010

Um velho homem negro, impunhando sua bengala, tentava a custo e esforço rasgar aquele imenso deserto entre uma calçada e outra. Estávamos entre monstros metálicos, compostos por rodas e vidros, e sua paciência não era compatível com a força que tinha. Ele tremia e ofegava e suava e olhava as pessoas em volta como se quisesse absorver um pouco da juventude dos demais, mesmo esse esforço era em vão. Após alguns minutos pude ver aquele homem chegar ao outro lado com sua bengala e suas sacolas e fiquei triste ao perceber que somos como o vento, bons ou ruins nós passaremos, independente de ter alguém nos vendo ou ouvindo.

06.08.2010

O impossível. O improvável.
Um palito foi riscado, nasceu a inspiração.
Quadro a quadro, detalhes e defeitos imperceptíveis.
Os pequenos atos que mudam todo o curso
E você continua ai, sentado, fumando seu cigarro,
Levantando o copo gole a gole
Achando que não está preparado
Enquanto eles te observão e torturam
Enquanto todos mudam seu curso.
Todos estamos em movimento,
Trago e gole um passo de cada vez.
Você se achava um despercebido,
Mas puxando o gatinho tudo muda
As cores mudam, o cheiro muda.
Fique calmo, levante devagar,
Sem movimentos bruscos,
Apague o cigarro, tome o último gole,
Puxe o gatinho e comece a viver.

09.07.2010

Eu não ouvia meus passos tocarem o chão
E sentia uma estranha sensação de liberdade
Nunca antes experimentada
Havia um “Big Bang” dentro de mim
Explosão essa que deu origem
A novas células e “seres”.
Agora eu tinha células que pensam,
Células que sentem,
Células que são de alguma forma
Ou de qualquer forma.
Um recomeço...
E o que eu queria mesmo
Era uma nova chance
Para retirar as pedras do caminho
Algumas ainda estão lá,
Virarão monolitos sagrados.
Eu me perdôo e vou superar
Aproveito minha nova liberdade
Deixo que mude minha vida
E enfim cresça
Afinal explosões também matam
E um dia posso não resistir.

EU NÃO SOU EU

Eu não sou eu, porque o eu já não existe.
É uma triste mistura de nós e eles.
Que disfarça toda vez que alguém percebe.

Que detona toda vez que alguém arrisca.
O não saber que a gente está sofrendo
Pois toda vez que olha no olho o olhar é fugidio.

Eles simplesmente fingem que estão vivendo,
Nós poupamos água e reciclamos lixo!
Ainda nos deixando influenciar pela hipocrisia
E todos ficam felizes com seus sorvetes.

PLANOS

Gostaria muito que depois de alguns anos, morando na metrópole, pela facilidade, trabalho e demais funções práticas do dia a dia, mudássemos para uma casinha perto do mar.
Um lugar que fosse mais que uma casa, mas um refúgio. Onde pudéssemos fazer o jantar olhando os barcos no mar e jantar na varanda, onde o vento fresco desarrumaria todo meu cabelo divertidamente e levasse os guardanapos da mesa onde ficaríamos bebendo nosso vinho favorito abraçados por horas, lembrando nossos bons momentos juntos.
Quero uma casa brilhando ao sol, que possa abrigar todos os nossos sonhos, que transforme todos os nódulos de tensão em prazer.
Depois do vinho, fazer amor vendo o nascer do sol e sentir seus raios esquentando as costas, então tomar seu café que gosto tanto enrolada na varando, enquanto você volta pra cama para aproveitar um pouco mais a preguiça do domingo...
Aguardo ansiosa sua volta, para dividir com você todos os planos.

SONHO NO LAGO

Incrivelmente às vezes parecemos estar perdendo tempo. Como oportunidades que perdemos sempre esperando algo melhor. E será que esse algo chegará? Será que estaremos vivos até lá? Será que o tempo ou o destino nos permitirá encontrar esse algo que tanto queremos? A resposta? Não há respostas! Apenas a certeza de que é preciso viver. Não dá para acreditar que encontraremos o nosso sonho. A vida não é um filme. Não dá para retroceder e ver sempre a cena que mais gostamos. Dois anos em um filme duram dois minutos. Não temos todo esse tempo. Não dá para esperar um presente na caixa de correio. Não é uma fantasia de pisciana. Não é um conto de fadas, mas é tão difícil conviver com isso. Ter uma certeza ou um sonho, algo que parece que sempre foi desejado. Um desejo que nunca esquecemos ou às vezes não pensamos. Alguma coisa que ficou faltando em algum momento. Alguém que esquecemos no meio do caminho, deixamos ir. Seria fácil se não fizesse falta agora. Não podemos simplesmente voltar no tempo e achar o que foi perdido se nem sabemos aonde. Como se no meio da multidão, um olhar fosse apenas para mim. Ainda espero esse olhar em meus sonhos. Alguém que não conheço, mas que me apaixonei. Alguém que não sei o nome ou a idade, não sei onde mora ou o que faz da vida, alguém que definitivamente não sei como é... Mas que estou esperando. Tenho a sensação de estar esperando. Talvez em meus sonhos.

IDADE PRA VOCÊ

A idade foi o maior presente que já ganhei.
Quanto mais nova eu era, mais achava que não. E tive muitas pessoas coerentes comigo para afirmar. Depois de um tempo subindo muito, qualquer descuido é um tombo muito grande. Depois de uma sucessão de tombos conheci o inferno. Engraçado ver que não é como pintam. Durante muito tempo tive medo do escuro e pude ver que tudo isso era em vão. Não é escuro no inferno, mas colorido e vivo como o presente que vivo hoje. Tudo era exatamente do mesmo jeito e tudo se movimentava na mesma velocidade, mas eu parecia estar diferente, mais calma, mais devagar. E por mais que odiasse não tinha escolha, passei alguns anos por lá.
Quanto mais velha eu era, mais achava que não. E comecei aperceber que as coisas andavam ao contrário, cronologicamente. Eu crescia e parecia estar voltando no tempo. Me sentia como uma criança que precisa de proteção, que quer sempre os brinquedos que quebraram, e sempre os parentes que foram embora. Ismália enlouqueceu e eu queria ir com ela.
Quanto mais nova eu era, mas frágil era. Sinto vergonha quando olho para trás e vejo a mancha negra que ficou no caminho, mas não foi de propósito. Eu tentava sobreviver em meio ao mundo que me exigiam, atitudes e ações que todos esqueceram, ou quase todos, e que eu nunca vou esquecer. Antes era tudo divertido, tudo lindo. Tudo limpo! Me sinto um elefante, bem grande, com uma cabeça bem grande e um coração partido.
Quanto mais velha eu era, pude perceber, sentada no chão com as lembranças, que na verdade eu não era nada. Eu simplesmente não era.
E agora não tenho coragem de ter esperança, e finjo que tudo vai ficar bem, por que na verdade eu não era. Mas eu queria muito. Queria muito ser quem não era, mas isso eu só aprendi quanto mais velha eu era. E quando enfim fiquei velha aprendi a ser alguém.

18 de jul de 2010

Breve conto de domingo

Estranho pensar que o tempo benefia muitas coisas e estraga outras.
Por exemplo, há alguns anos era tão caro para alguns comprar livros, CDs ou mesmo filmes originais, e hoje que esses produtos se tornaram mais baratos por conta da mídia, internet, MP3, globalização, pirataria poucas pessoas compram os originais tão sonhados.
Na minha adolescência, sonhava com coisas que não podia ter. Hoje faça questão de ter todos os livros e filmes e CDs que puder ter originais, não existem mais motivos para xerocar um livro se posso tê-lo por quase o mesmo preço da Xerox, ou mesmo copiar um CD ou um DVD pelo mesmo motivo (na maioria dos casos). Eu pensava que quando esses produtos se tornassem mais baratos os artistas teriam mais sucesso nas vendas, pois tornariam seu trabalho mais próximo dos fãs. E, no entanto não foi o que aconteceu. Hoje em dia os shows custam o dobro do que deveria, foi o inverso dos CDs e DVDs, pelo mesmo motivo. As pessoas querem sempre que tudo seja mais fácil e mais fácil cada vez mais. Não importa se um filme original por mais que você goste custe R$ 12,90 em uma loja de conveniência, se você pode comprá-lo por R$ 10,00 e ganha dois outros de brinde no vendedor ambulante mais próximo. E também não importa que você possa comprar o trabalho de um músico que levou um ano inteiro compondo músicas (ou comprando os direitos autorais para usá-la), criando arranjos, melodias, ensaiando com uma banda, tendo desgaste e desentendimentos normais de pessoas que passam muito tempo juntas para agradar um público alvo ou vários, e manter o próprio sustento se você pode resumir tudo isso e baixá-lo em MP3. Respeito que as pessoas tenham opiniões diferentes. Pra mim, funciona assim: copio um filme para ver quando tenho tempo depois o compro quando tenho oportunidade. Baixo um disco de uma banda que não conheço para passar a conhecer o trabalho daquela banda quando gosto logo quero ter aquele CD para ter o prazer de sentir o cheiro de um CD novo e vislumbrar seu encarte, descobrir o “rosto” daquela música. Por coincidência acabei de ver um filme e estou ouvindo um CD que aconteceu assim. Sei também que alguns artistas fizeram sucesso graças à informalidade da internet ou da pirataria. É justo! É justo também que as pessoas que conheceram o artista dessa forma passem a dar valor ao trabalho original, já que tantas pessoas fazem questão de serem original e contribuem com a pirataria. Após terminar de ver o filme fui ver a entrevista com o diretor e o Making Off do filme, é maravilhoso ver que muitas pessoas trabalharam duro para termos 95 minutos de prazer. A juventude de hoje da valor a coisas muito diferentes e talvez eu pareça velha ou saudosista falando disso, mas tenho que defender minha opinião.