27 de abr de 2011

Poema de resposta.

A verdade é que agora é tarde,
Pra falar dos nossos erros, medos
Ou mesmo das feridas que cultivamos.

Admito que haviam muitas incertezas entre nós,
E com o passar dos anos a vida não nos ajudou
A vida não nos ensinou a decifrar um ao outro
Da forma que seria conveniente, devo dizer assim.

Vejo em nós dois vencedores decadentes
Tão atolados cada um com suas certezas, suas convicções
Olhando para dentro de si, que é impossível
Olhar pro outro e descobrir o que é necessário.
Procurei a nossa volta algo para aparar a queda, não achei.

Não posso dizer que te odeio
Apenas fomos tolos o suficiente para nos perder
Num universo que nos cobrou todos os anos disperdiçados.
E sete vezes sete seremos vingados
Por todos os amores perdidos desse mundo.

Não me culpe por fazer uma escolha
A escolha não foi só minha
E nem o medo de assumir uma vida nova
Nem a ferida que nos restou.

Mas você foi corajoso
Abrindo a gaiola e libertando o amor que inssitimos
Em aprisionar sete vezes.
Que agora está livre para voar
E encontrar companheirismo, carinho
E todo romance que os novos amores costumam ter.

Nenhum comentário: