18 de mar de 2011


O outono se aproxima e vai gelando minha alma,
Veja no chão suas folhas secas e o estalo que faz ao tocar em meus pés.
Me sento, e observo enquanto dançam com a brisa
Me rodeiam, se prendem em meu cabelo
E repousam mansas sobre o chão no novamente.
Longe dali, em algum lugar o sol brilha intenso
Onde as folhas são verdes e os grandes portões de ferro não estão trancados
Onde o vinho lhes aquece a alma
E a pele nua e contemplada sob o fogo bruxuleante
E a vida se aquece.
E o coração se aquece.
Aqui, aguardo o inverno, sóbria, enternecida,
Sinto na fresta da pele que escapa da roupa
Raios singelos do sol brando.
Aguardo um inverno aquecido.

Nenhum comentário: